Patrimônio e Responsabilidade

165

Há algum tempo, ganhei da minha querida amiga Simone Bicca o livro“As Raízes do Futuro”, de Hugues de Varine. O ótimo texto fala sobre cultura e desenvolvimento local, dois assuntos que me interessam bastante. O conteúdo é variado, assim como a experiência do autor, mas a parte que mais chamou a minha atenção foi a que trata de patrimônio e responsabilidade. O patrimônio que herdamos ou adquirimos é nossa responsabilidade. Uma ideia simples, óbvia até, mas que me fez refletir bastante. O compromisso de preservar o que temos é nosso, como indivíduos e também como comunidade, governo ou empresa. Quem está de posse de um bem, seja ele material ou imaterial, deve torna-lo útil e encontrar soluções para que ele não desapareça.

Somos, individual e coletivamente, habitantes transitórios do nosso lugar, um lugar que será das próximas gerações. Quando possuímos um bem, além do direito de fazer uso dele, temos também o dever de zelar para que ele resista ao nosso tempo e nossos sucessores tenham a oportunidade de conhecer o que conhecemos. Tanto faz se falamos de um monumento, uma paisagem natural ou uma receita de bolo. A posse de um patrimônio pessoal ou comunitário, material ou imaterial, não deveria dar o direito à destruição ou ao mau uso do mesmo. O fato de sermos proprietários gera uma responsabilidade, tornando-nos guardiães de história e memória.

Segundo o autor do livro, é um grande desafio para quem detém um patrimônio assegurar a sua manutenção e seu melhor uso. A verdade é que nem sempre estamos à altura desse desafio. Se falamos em bens materiais como prédios históricos ou documentos, devemos encontrar uma forma de usufruir deles sem destruí-los no processo, garantindo aos herdeiros (familiares ou não) o direito de também ter acesso a esses bens. Tratando-se de bens imateriais, como criações artísticas, costumes, tradições, devemos ter a mesma preocupação, garantir sua integridade, sua permanência e sua transmissão. Essa consciência e esse comprometimento é o que garante a riqueza material e cultural de uma comunidade.

 

COMPARTILHE
Artigo anteriorErrar é humano…
Próximo artigoBrilhando em Cuiabá