Nossa história em chamas

199

O incêndio no Museu Nacional do Rio de Janeiro causou comoção no país inteiro. Ver o patrimônio incalculável daquele lindo prédio ser consumido pelo fogo foi muito triste. Nenhum esforço ou investimento na recuperação da estrutura e do acervo será suficiente para resgatar as milhares de peças e anos de pesquisa contidos no museu.

Muito foi dito, e será ainda nos próximos dias, sobre o atraso nos repasses de verbas, a falta de investimento e o descaso do poder público relacionados a esta tragédia. Nada vai ser suficiente para recuperar o que foi destruído. O valor do patrimônio cultural, histórico e científico de um povo não pode ser medido em moeda, ele é o que nos torna uma nação, é o que nos dá identidade e referência, é o substrato de todo o desenvolvimento do país.
Tragédias, muitas vezes, servem para repensarmos as políticas públicas e a nossa postura diante de temas importantes. O que ocorreu deve servir de alerta e reflexão. Alerta para as outras tragédias que podem acometer tantos museus, bibliotecas e equipamentos culturais que sofrem com falta de verbas, manutenção deficiente e administração irresponsável. Reflexão para cada um de nós, sobre o valor que damos, como país e como cidadãos, ao nosso patrimônio. É uma oportunidade de olharmos para o nosso entorno, observar como esses espaços são tratados na nossa cidade, no nosso estado. Todos devemos tomar parte no esforço de proteger nossa história e nossa cultura, e exigir a postura adequada e responsável das autoridades. Caso contrário, só nos restará lamentar as perdas.

Tatiana François Motta, 04/09/2018