Solucionando problemas em Empresas Familiares

100

No Brasil, uma pesquisa feita pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) aponta que 90% das empresas do país são familiares, ou seja, possuem dois ou mais membros da mesma família envolvidos no dia a dia do negócio. Além disso, representam cerca de 65% do Produto Interno Bruto (PIB), empregando 75% da força de trabalho do país.

Todos sabemos que empreender já é um grande desafio, o qual torna-se ainda maior quando envolve relações familiares além das profissionais. Diante deste cenário, falar sobre gestão em empresas familiares é cada vez mais relevante e necessário para que tenhamos um ambiente de negócios próspero.

        Encontrando as raízes

Caso fossemos listar todos os problemas que normalmente ocorrem em uma empresa familiar poderíamos escrever um livro por aqui. A grande questão é identificarmos quais são as raízes destes problemas, ou seja, onde eles são gerados. Somente possuindo este entendimento é possível tomar ações assertivas e resolutivas.

Acredito que uma das principais raízes esteja relacionada à falta de clareza do lugar de cada membro da família na empresa. O lugar nada mais é do que o cargo, responsabilidades e nível hierárquico que cada um possui no negócio. É saber de quem é a palavra final.

Outros pontos muito comuns e que possuem um efeito extremamente negativo são a falta de diálogo, transparência e principalmente respeito entre os envolvidos. Essas questões básicas, muitas vezes negligenciadas, sempre são as que mais fazem diferença.

Cortando o mal pela raiz

Algumas práticas de gestão são muito eficazes para de fato cortarmos o mal pela raiz e reduzirmos significativamente a incidência de problemas que podem levar uma empresa familiar ao caos. Estabelecer um organograma, descrever os cargos, realizar reuniões periódicas de alinhamento e definir regras para as relações já possuem o poder de solucionar e, até mesmo evitar problemas que ocorrem diariamente.

São ações como estas, aparentemente simples, que podem transformar a realidade de uma empresa familiar. Fato é, que nem sempre o simples é fácil de ser executado. Fazer o que precisa ser feito requer muita disciplina, consistência e visão de longo prazo.

Nícolas Pletsch – CEO da Rota Smart