Mais um ano se finda e vem a pergunta: O que estou fazendo?

10
Foto: Arquivo pessoal

Mais um ano se finda e vem a pergunta: O que estou fazendo? O que estou escolhendo para mim? O que estou fazendo por mim? O que vim fazer aqui nesse mundo? Eis a questão, que quase 8 bilhões de pessoas se perguntam todos os dias.

A gente esquece que a gente veio aqui para evoluir e para resgatar o que não foi resgatado, para se reconciliar com o que não foi reconciliado e principalmente, para ressignificar, transformar toda a nossa dor em força, em amor e principalmente, em vida leve.

Quando fazemos isso por nós, automaticamente vamos fazer por um coletivo, porque somos todos conectados. Quase 8 bilhões de pessoas, todos somos conectados. Quando fazemos por nós, fazemos por um todo. Então, esse ano que se finda, eu te pergunto: O que tu está fazendo por ti? Você está escolhendo coisas que te elevam? Coisas que elevam o mundo?

Sature o seu inconsciente de coisas que te elevem. Somos seres biológicos e fisiológicos e temos um tempo aqui na Terra. A vida acontece hoje! Não foi ontem, nem amanhã. A vida acontece no presente! Então, viva o hoje, abrace hoje, beije hoje, fale que ama, perdoe e seja perdoado, compreenda e seja compreendido.

Solte o controle, porque a pandemia veio para nos mostrar que a gente não tem controle de nada.Tenha escolhas, tenha preferências, porém não tenha apego, porque todo o apego gera sofrimento. Não tenha expectativa, tudo o que fizer, faça com o teu coração, com a tua alma, porém solte. Não tenha expectativa de nada, nem de ninguém, nem de si mesmo, só faça! Tudo o que você for fazer a partir de hoje, faça com o seu coração, com a tua alma e com uma postura de leveza e amor incondicional.

Todo o apego gera sofrimento.Mais um ano se finda e logo outro vem. O que você está escolhendo por você? Que só você pode escolher?

Com Carinho, Aline Dalcin.