LIRA aponta médio risco em São Borja para o Aedes

13

Na segunda-feira (17/5), o Serviço de Vigilância em Saúde em São Borja divulgou o resultado apurado na última edição do LIRA (Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti). O levantamento, realizado por amostragem, indica infestação média de 3,2% pelo mosquito na área urbana e na vila de Nhu-Porã. O índice caracteriza risco médio para as doenças transmitidas, como dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela.

A médica veterinária Janaína Leivas do Serviço de Vigilância em Saúde observa que até 3,9% o perfil é de médio risco. Ressalta, porém, que a região centro-sul da cidade registrou, mais uma vez, infestação maior que os demais locais pesquisados. “Isto significa que se mantém a necessidade de a população fazer a sua parte, em apoio ao poder público, ainda mais quando temos muitos casos de pessoas doentes em municípios próximos na região”, diz ela.

O prefeito Eduardo Bonotto, por seu turno, lembra que “as conjunturas que vêm sendo reveladas impõem a necessidade de que os são-borjenses de modo geral conservem limpos seus pátios e demais ambientes domésticos”. O prefeito lembra que “ainda existe a cultura de jogar lixos e entulhos nas periferias, e isso tem de mudar”.

O LIRA é de iniciativa do Ministério da Saúde. A edição mais recente foi a segunda deste ano, realizada de 10 a 14 de maio. Nas regiões centro-sul e Pirahy e José Alvarez foram recolhidos materiais em 20% dos locais normalmente monitorados. No bairro do Passo e vilas Umbu e Nhu-Porã foram 50% dos locais. Outros dois LIRAs são previstos até dezembro.

Texto e foto: DECOM SB