Enchente e Covid redobram atenção nos próximas dias

8
Fonte: DECOM - Prefeitura de São Borja

A previsão é que o fim de semana e os dias subsequentes serão de apreensão e de muito trabalho em São Borja. Existem dois fortes motivos para atenção redobrada: a pandemia do coronavírus e a enchente do rio Uruguai, depois das chuvas intensas mais recentes no sul do país. O prefeito Eduardo Bonotto garante que, apesar da conjuntura de situações adversas, todas as ações de prevenção e apoio à população são-borjense estão sendo adotadas.

Nesta sexta-feira (1/07), o rio Uruguai chegou a cerca de 9,5 metros além do normal no município, com tendência de elevação. Já com a marca atual, são atingidas as primeiras famílias ribeirinhas, assim como bares no Cais do Porto. Em áreas rurais, estão interditadas as estradas nas regiões de Estiva, Salso e Santa Luzia.

Com o provável agravamento do quadro, a projeção de que aumente o número de atingidos no fim de semana, quando também é previsto o retorno da chuva. O prefeito Bonotto ressalta, no entanto, que todas as equipes da Defesa Civil municipal estão mobilizadas. Estão prontas para prestar apoios equipes da Prefeitura e do Corpo de Bombeiros, em parceria com a comunidade.

A expectativa é de que não seja necessária a improvisação de alojamentos, mas é preciso auxílio para que os ribeirinhos saiam de suas residências e retores seus animais e pertences. Na periferia da cidade, as regiões que são motivo de maior atenção as vilas da Praia, Porto do Angico e Arno Andres, além do bairro Itacherê. No Cais do Porto, os proprietários de bares normalmente não fazem remoções.

A enchente do rio Uruguai que atinge o sul do Brasil eleva também o nível dos seus diversos afluentes, no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A cheia ocorre depois que, há poucos meses, o rio Uruguai registrou um dos níveis mais baixos das últimas décadas. De janeiro a abril, as águas do manancial em São Borja se mantiveram menos de meio metro além do normal.

Coronavírus

Ao mesmo tempo que São Borja mobiliza-se em função de mais uma enchente do rio Uruguai, segue também articulando ações de prevenção e enfrentamento à pandemia do coronavírus. O prefeito Eduardo Bonotto reiterou, nesta sexta-feira, que a situação está sob controle, mas requer atenções redobradas. Isto por que vêm crescendo os números de pacientes infectados pelo vírus. Na quinta-feira (9) foram sete novos casos. São dois óbitos no município.

As ações de enfrentamento à Covid-19 tem coordenação geral da Prefeitura e parceria de várias instituições do Comitê de Gestão de Crise. Integram o grupo de trabalho o Hospital Ivan Goulart, o Ministério Público, a Câmara de Vereadores, os órgãos de segurança e as entidades do empresariado, além de outros apoiadores.

São Borja continua em situação de calamidade pública devido à pandemia e as atividades autorizadas s a funcionar têm restrições e precisam de adotar uma série de medidas de prevenção. O uso de máscaras segue obrigatório para todas as pessoas e são proibidas aglomerações.

O prefeito Eduardo Bonotto voltou a pedir, ontem, que as pessoas que integram os grupos de risco observem isolamento social. Nos casos de sintomas gripais – resfriado, febre, tosse, coriza – ou ainda perda de olfato e paladar, a recomendação é para procurar o Centro de Triagem, das 8 às 22, onde seria a UPA – Unidade de Pronto Atendimento. Durante a madrugada deve ser procurado o plantão do Hospital Ivan Goulart.