E ai, vai pra onde? A tendência do Turismo de Isolamento

17
Fonte: Camila Beque

Em março o Brasil parou por conta da chegada da pandemia de Covid-19, e desde então inúmeras atividades, que antes ocorriam com frequência, tiveram que ter uma pausa necessária a fim de um cuidado maior. Durante esses quase oito meses convivendo com o vírus, muitas pessoas se mantiveram em casa, algumas inclusive fazendo ali suas atividades profissionais. Com a situação atual os planos de passeios e viagens para 2020 tiveram de ser adiados, e reprogramados.

Nos primeiros meses o medo fazia parte da rotina das pessoas, não apenas entre os brasileiros. O vírus trouxe o temor do contágio, e isso manteve as pessoas restritas a apenas atividades essenciais, sem visita a casa de amigos e familiares, nem viagens de final de semana e feriado. Porém, depois desses longos meses, algumas atividades, aos poucos foram voltando. Por exemplo, os exercícios ao ar livre.

Com a chegada dos dias mais quentes, época de feriados mais longos é natural que as pessoas queiram sair de casa, após tanto tempo isolados, a partir disso surgiu um estilo bem específico de turismo, o turismo de isolamento. A agente de viagens Flavia Torres explica que “este tipo de turismo surgiu com a necessidade de “mudar de ares” das pessoas que moram em grandes cidades e que de uma hora para outra tiveram que ficar confinadas dentro de apartamentos por um longo período de tempo e que além de morar, foi preciso trabalhar e estudar no mesmo ambiente. É uma opção que proporciona sair da rotina sem deixar de respeitar o necessário distanciamento social.”

Para as pessoas que escolhem esse tipo de turismo, é importante não esquecer os cuidados que ainda devem ser tomados, pois apesar de tudo, o vírus ainda está entre nós e não há uma alternativa de evitá-lo se não com o cuidado, cumprindo as medidas de proteção. Flavia completa, “o mais importante, no momento, é tentar fugir de ambientes fechados e que possam gerar aglomerações.” Outro fator que é importante de ser levado em consideração é o ambiente escolhido para a hospedagem, é essencial buscar um lugar que respeite as medidas sanitárias, e ainda mantenha o bem-estar e segurança do hóspede.

A agente de viagens conta que com essa volta gradual da busca pelo turismo, os destinos mais visados são dentro do país, uma vez que as fronteiras se mantém fechadas, principalmente “os que proporcionam maior contato com a natureza, lugares mais próximos de casa, pela facilidade de se locomover.”. Flavia ainda complementa sobre as buscas de hospedagem, “as melhores opções seriam os modelos de hospedagem com unidades bastante afastadas umas das outras, como os resorts que possuem bangalôs e vilas distribuídas em amplas áreas. Apesar da hotelaria em geral, no país, estar adaptada ao “novo normal” seguindo todas os protocolos de higiene e proteção tanto dos hóspedes quanto da equipe de colaboradores.”

E as opções para quem está na fronteira e quer ir para algum destino próximo, é a cidade de São Miguel das Missões, onde encontrará as Ruínas de São Miguel. Ou um pouco mais distante, Foz do Iguaçu-PR, onde o Parque Nacional do Iguaçu já está de portas abertas, além das opções dentro do estado do RS como a Serra Gaúcha, os Cânions, Litoral… Assim além de descansar e sair um pouco da rotina, ainda auxilia na economia dentro do estado.

São as sugestões da agente de viagens, Flavia Torres, e que completa, “a Fronnt Thour está preparada para oferecer reservas e roteiros no estado, além dos tradicionais pacotes para o resto do país e para os países que já estão recebendo turistas estrangeiros”.