DESPERDÍCIO

25

Temos em razão de nossas atividades profissionais, que fazer nossas refeições, especialmente almoço, em restaurantes da cidade, o que de plano nos deixa sem muitas opções. Mas o assunto não é esse, pelo menos hoje.

Fiquei deveras preocupado com a publicação da EMBRAPA que após uma minuciosa pesquisa, e as pesquisas foram feitas para serem contestadas. Publicou os números do desperdício de alimentos. É isso mesmo, perda de alimentos. Especialmente quando vemos diariamente que o Brasil é um dos países com maior número de famintos, ou mal alimentados do mundo.

Essa instituição proclamou que o arroz, é o alimento que mais vai para o lixo. Exatamente 21,6% do arroz se perde no lixo!!!! Ou seja, de cada cem quilos jogamos fora aproximadamente 22 quilos.

Os itens que surgem logo a seguir são as carnes, quase 20% da carne bovina e mais de 16% de carnes de ave.

Em cima desses três itens fiquei a imaginar, quantas pessoas poderiam se alimentar com esses percentuais que vão para o lixo. Ah! Os dados da EMBRAPA dizem do desperdício diário. Ao final de trinta dias serão alguns milhares de toneladas de alimentos jogadas fora.

E o nosso país tem famintos. É uma escabrosa contradição. Como podemos jogar fora tantos quilos de alimentos se existem famintos!!!???

Acontece que não vemos o que está muito próximo. Como disse ao início, basta observar o que os consumidores dos restaurantes deixam como “sobras” nos respectivos pratos, após as refeições. Especialmente no sistema de “livre”, mas mesmo os que usam o sistema por quilo, servem os alimentos em demasia!!!

Seria isto cultura? Seria falta de consciência? Será que pelo corre-corre as pessoas não se dão conta de que estão jogando fora alimentos? Alimentos que faltam a um grande número de brasileiros!!!

Em minhas andanças já vi em alguns restaurantes avisos de que as “sobras” se excederem a tanto por cento, serão cobradas do consumidor. Em outros lugares há cartazes de aviso que os consumidores devem se ater ao que vai ser consumido. Meros avisos. Sempre descumpridos!!!

Efetivamente vivemos num país de farturas. Nunca passamos pelos horrores de uma guerra.

Temos um clima excelente. Uma distribuição de chuvas que se não é o ideal, pelo menos chove regularmente em quase todas as regiões.

Por todas essas razões me ponho a pensar que, isso é um estado emocional ou faz parte de nossa identidade psicológica!

É um caso para ser pensado, e quem sabe comecemos por nós mesmos a fazer uma “mea culpa” e desperdiçar menos, especialmente os alimentos que faltam na mesa de milhares de brasileiros.

É o que penso.

Julho de 2019

Dr. Modesto Roballo Guimarães.

OAB/RS 21085