Coronavírus: mutirão de solidariedade para o recolhimento de alimentos na cidade

35
Fonte: DECOM/Prefeitura de São Borja

A exemplo das questões de saúde pública, a carência de alimentos é uma das consequências sociais mais preocupantes em São Borja, em função da pandemia do Coronavírus. O Comitê de Gestão de Crise, montado pela Prefeitura, já constata que centenas de famílias estão sem condições de garantir a própria subsistência, devido ao desemprego ou à suspensão da geração de renda. Em vista disso, está em andamento, a partir de quarta-feira (08/04) a campanha São Borja Solidária, visando à arrecadação de alimentos e de materiais de higiene pessoal.

O recolhimento de insumos está sendo feito em nove diferentes pontos fixos na cidade. Os locais são: Corpo de Bombeiros, Praça da Lagoa, Praça XV de Novembro (no Recanto do Gaúcho), Praça da Viação Férrea, Asconvilca (vila Cabeleira), em frente ao 2° RC Mec, Centro Nativista Boitatá, Supermercado Chesini do bairro Paraboi e Supermercado Rede Vivo do Bairro Pirahy. A previsão é que equipes estejam à disposição até às 19 horas para receber as doações.

Todos os alimentos doados estão sendo levados para um depósito na Delegacia da Polícia Federal, no bairro do Passo. Os insumos vão para o Banco de Alimentos que foi montado pelo Gabinete de Crise. A distribuição será feita, a seguir, às famílias mais necessitadas.

Um grupo de mobilização, integrante do Comitê, já visitou empresas no início da semana, também solicitando auxílios. Através da campanha São Borja Solidária, são recebidos alimentos perecíveis ou não, além de materiais de higiene pessoal. A previsão é que em poucos dias sejam preparadas cestas básicas para a distribuição.

A ação de solidariedade em curso tem a participação de diversas instituições, como “um ato de amor que faz bem!”, segundo propõe a campanha. São parceiras na iniciativa: Prefeitura, Câmara de Vereadores, 2° RC Mec, Polícia Rodoviária Federal, Policia Civil, Polícia Federal, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e Força de Segurança Nacional. Também integram a mesma força-tarefa de mobilização a Associação Comercial (Acisb), Sindilojas, Câmara de Diretores Lojistas, Sesc, Senac, Hospital Ivan Goulart, CTGs e demais entidades tradicionalistas, Lions Clube, Rotary Clube e Mercovia S/A, entre outros parceiros.