As Primeiras Impressões e as Nossas Visões de Mundo

25

As primeiras inserções de conhecimentos que adentram a nossa mente durante os primórdios de nossas existências possuem uma crucial, e potente, influência na formatação dos pensamentos, das atitudes e das crenças que permearão a psique pelo resto de nossas vidas.

Parece meio absurdo, mas numa fase da vida onde temos limitada capacidade de entendimento sobre a realidade e sobre nós mesmos, é quando se formatam as impressões emocionais que impactarão a nossa autoestima, o nosso autorrespeito e a nossa autoconfiança, os quais são os pilares de nossos desenvolvimentos intelectuais, físicos, anímicos e artísticos. 

A força desta impressão, que parece ser esculpida em pedras, é tão presente, tão intensa e tão voraz que, como um invisível fantasma, ela frequentemente direciona, ela ludibria e ela brinca com o nosso ser que, inocentemente, acredita ser o soberano de seus próprios pensamentos e de suas próprias volições. 

Em outros palavras, um adolescente, jovem ou adulto dotado de ideias, de conceitos e de aguçadas percepções, frequentemente caminha pela vida ignorante do fato de que, apesar de toda a sua sapiência, ou inexistência da mesma, os caminhos que ele segue são inalteravelmente influenciados pelas primeiras impressões que foram marcadas em sua cognição nos infantis momentos de sua vida. 

Ou seja, nos enganamos quando pensamos ser livres e dotados de uma independente volição, pois na verdade somos similares a fantoches que, obedientemente e cegamente, repetimos tudo aquilo que foi observado e captado no ecossistema de nossas infâncias. 

Contudo, inquestionável e felizmente esta ideia não é imutável, mas qualquer tentativa de mudança, ou reestruturação das bases da psique pessoal, requer um rigoroso apoio de conhecimentos que revelem outra visão de mundo, demandam uma constante e vigorosa volição e exigem uma incessante repetição do novo viver que, se condicionada lúcida e deliberadamente, produz um terreno fértil no qual possamos passar por um renascimento cognitivo. 

Mesmo assim, uma observação até superficial do mundo revela que tal feito é raro, pois raras são as pessoas que entendem, ou que procuram entender, as sutis influências das primeiras impressões na vida humana e, ainda mais raros, aqueles que entendem e que, com base nelas, desejam reorientar suas vidas em direção a plenitude de suas existências e a plena manifestação do que é o viver humano.

No entanto, apesar da realidade evidenciar a raridade de tais feitos, a possibilidade deste entendimento e dessa expansiva mudança é latente em nossas essências e, portanto, disponível para todos nós. 

Isto é, basta tentar e, ao explorar este admirável mundo novo, novas impressões são gravadas na maleável pedra de nossas cognições e, como resultado, uma nova realidade, repleta de novas visões e de novos desafios abre-se majestosamente na senda de nossas vidas. Tente, pois renascer é preciso. 

PS: Para citar este Pensamento:

Cargnin dos Santos, Tadany. As primeiras impressões e as nossas visões de mundo.