A Onipresença do Amor

23

O amor está em todas as partes, em todos os momentos e em todas as situações.

Tudo o que fazemos tem como base o amor.

Cada pensamento. Cada Palavra. Cada Ação e Cada Gesto são uma verossímil expressão do amor.

Às vezes, estamos conscientes desta realidade, noutras ela parece um pouco nublada enquanto que, em outras, ela se manifesta inconscientemente, quase instintivamente.

A verdade mais singela de toda essa existência nos revela que em cada ato que realizamos ou estamos presentemente manifestando a essência do amor ou, por outro lado, nossos feitos estão desprovidos de tão magnífica influência.

E quando ausente, ele até possui apelidos, que são o amor desvirtuado

O amor mesquinho

O Amor abusivo

Ou o Amor Ignorado

O qual, em qualquer uma dessas minguantes facetas, está extravasando um desejo quase incontrolável de demonstrar para o mundo que, naquele momento, ele não está presente na vida da pessoa e que ela, carente de tão terna e transformadora energia, clama por sua presença manifestando sua ausência.

Paradoxos da vida humana.

Contradições existências.

Oposições comportamentais  que, por escassez de amor, desvirtuam sua própria existência e, quando alguém o realiza…

Sofre e faz sofrer

Machuca e se machuca

Magoa e se magoa

Chora e faz chorar

Mas, mesmo nestes indesejáveis momentos, no âmago da alma, todos sabem que com a presença do amor a gente

Se expande e faz expandir

Se une e faz unir

Se encanta e faz encantar

Se transforma e faz transformar

E tudo isso acontece, pois o amor é intrínseco a vida pessoal

Inerente a caminhada individual

E fundamental ao belo viver.

Então, viva sempre e a cada momento o amor e sua indelével e natural onipresença.

 

PS: Para citar este Amoroso Poema:

Cargnin dos Santos, Tadany. A Onipresença do Amor.