Licitação do estacionamento rotativo é interrompida

124

Ao contrário do previsto, não acontece nesta terça-feira a abertura das propostas em São Borja da licitação para indicar a empresa que vai operar o serviço de estacionamento rotativo, no centro da cidade.

O secretário municipal de Planejamento, Sérgio Muniz, informa que embargos apresentados por empresas concorrentes no processo levam ao adiamento, confirmado na tarde de ontem. A previsão é que seja dado prazo de uma mês para os ajustes e superação dos impasses, para então abertura das propostas na concorrência.

Muniz lamenta postergar o desfecho do processo, mas lembra que isso é possível e normalmente acontece, considerando um grande interesse motivado por um contrato a ser celebrado pelo prazo de dez anos. O secretário observa que cidades no Estado, como é o caso de Erechim, estão há meses sob impasse, mas São Borja espera resolver rápido a situação.

Mesmo com o adiamento, Sérgio Muniz espera conhecer a empresa vencedora da licitação no início de novembro e até o final do ano colocar em funcionamento o estacionamento rotativo. Lei municipal prevê abertura de até 700 vagas de estacionamento, mas cerca de 300 devem ser abertas, inicialmente, na área central, já atendendo a demanda principal da cidade.

Trinta minutos de estacionamento pago terão custo de um real, uma hora de dois reais e duas horas, de quatro reais. O sistema vai funcionar com a utilização da parquímetros, informa o secretário de Infraestrutura e Trânsito, Edison Damião Ribas.