SOU REBELDE

489

Hoje acordei com meu coraçãozinho fazendo muito barulho, creiam. Acho que o sábado ensolarado e a filha do vizinho da frente estendendo roupas só de calcinha põe meus pensamentos em ebulição, deve ser.

Desço pra conversar com a bagaceirada no boteco da esquina, tomar um sol e um goró e encontro a Dona Naná, que me conta que dormiu mal, pressão alta e o médico disse que ela tinha que tomar um remédio que ataca o duodeno e a concunhada dela morreu de nó nas tripas e eu quase esgoelando a velhota, imaginando ela como uma garrafa de cerveja: gelada e sobre a mesa!

Deus acompanha minhas perversidades com as velhinhas hipocondríacas, por isso me perdoará.

Agradeço por estar caminhando e bebendo e seguindo a canção, somos todos iguais, muito ricos ou não. O sábado está desaforado de tão bonito, gente! Dia ideal pra se apaixonar por alguém que te esprema espinhas e apare as tuas sobrancelhas; quer gestos de carinho mais sublimes do que estes? Talvez nem beijo de língua. Se a tua parceira faz isso ela te ama, certamente.

Ou se ela, antes de sair, te faz trocar aquela bermuda imunda que tu adora, também é uma brutal demonstração do mais puro amor, quem sabe autopreservação da imagem, não sair com um ogro vestindo bermuda floreada e camiseta do Grêmio, não é? E não adianta te emburrar que nessas coisas elas sempre tem razão, ouviu?
Um bom sabadão pra todos e um carinhoso e meigo beijo no pâncreas de vocês!