Os Caminhos Espirituais

20

A maioria das pessoas que adentram os caminhos espirituais, o fazem principalmente por desilusões ou por frustrações com relação a vida, ou seja, estão tentando encontrar um refúgio para a dor que lhes atormenta, ou estão tentando fugir de algo que lhes foi, ou é, desagradável ou insuportável. Em outras palavras, para este grupo, o caminho é percorrido ou para anestesiar uma abominável mágoa, ou serve de escapatória para aquilo o qual a pessoa não consegue lidar, ou enfrentar.

Um outro grupo de pessoas, são aqueles que percebem em tal caminhada uma oportunidade de aprenderem alguns aforismos e parábolas que os manterão numa profissão que tenha toques de espiritualidade, mas que na verdade é um deliberado meio para o êxito, para o reconhecimento e para o poder. Estes indivíduos, adentram a senda com um claro intuito corporativo onde o sucesso material e a expansão social são mais importantes do que a sapiência essencial e uma vivência espiritual.

Por outro lado, existe um seleto e raro número de pessoas que adentram a vereda da sabedoria com o genuíno intuito de entenderem a realidade absoluta de suas essências por meio de uma busca incessante, metódica e unidirecionada pelo autoconhecimento. Esses seres luzes, adentram corajosamente o caminho pois já atingiram um irrevogável grau de discernimento, de maturidade e de liberdade onde a curiosidade sobre a essência do todo é maior do que qualquer outro desejo, ou seja, eles estudam e peregrinam porque suas naturezas clamam por entenderem o conhecimento indispensável para uma vida livre, harmônica, amorosa e lúcida.

Mas independentemente dos possíveis caminhos escolhidos, ou de suas infindas, tênues e possíveis mesclas e interconexões, o sublime fato de adentrar na senda da sabedoria e da espiritualidade já é uma augusta e admirável aurora na vida de qualquer pessoa, pois peregrinar é preciso e o caminho o está esperando.