Dissídio coletivo dos empregados do comércio depende da definição do salário mínimo regional

409

O Sindicato dos Comerciários e o Sindilojas em São Borja aguardam definição sobre o novo salário regional do Rio Grande do Sul para iniciar conversações em torno do dissídio coletivo de 2017.

A data-base é o mês de março, e o sindicato operário há apresentou sua pauta de reivindicações, que inclui reposição da inflação dos últimos 12 meses, mais algum ganho real sobre o atual piso salarial.

Como, entretanto, o piso regional é utilizado como um dos parâmetros, as duas entidades esperam definição a respeito por parte do governo estadual e da Assembleia Legislativa. A tendência é que o salário mínimo regional tenha reajuste entre 7% e 8%.