Declaração do estado como área livre de aftosa sem vacinação está gerando polêmicas

374

A decisão das autoridades do governo gaúcho de, a partir de 2019, declarar o Rio Grande do Sul livre de aftosa sem vacinação, vem provocando polêmicas. Técnicos e criadores de países vizinhos, como Argentina e Uruguai, acham a decisão precipitada e de difícil controle.

Para alimentar a discussão é lembrado o evento de aftosa do ano 2000, no município, em que centenas de animais tiveram de ser sacrificados. A polêmica aumenta porque argentinos e uruguaios vão seguir vacinando seus rebanhos, e seria difícil controlar a doença nas fronteiras.

De qualquer modo, a Secretaria Estadual da Agricultura oficializou ao Ministério da Agricultura que vai parar de vacinar a partir de 2019. Como uma das medidas estratégicas, estão sendo nomeados 40 veterinários ou agrônomos, aprovados em concurso, para reforçar a fiscalização nas regiões de fronteira.