Apparício Silva Rillo recebe homenagens em São Borja

474

Encerram nesta sexta-feira (23) em São Bora as atividades que assinalam a passagem dos 22 anos de morte do poeta e escritor Apparício Silva Rillo, que se completam neste dia 23. Segundo lei municipal, de 16 a 23 de junho, desenvolve-se a Semana Cultural Apparício Silva Rillo, com análises e interpretações da sua obra nas escolas, no museu que leva o nome do poeta, no Museu de Estância e ainda na sede de Os Angüeras, grupo que ajudou na implantação.

O destaque do conjunto de atividades será a partir das seis e meia da tarde desta sexta-feira, no Museu da Estância, com a apresentação de poesias musicadas de Rillo, sob coordenação da professora Magda Bicca.

Apparício Silva Rillo nasceu em Porto Alegre no dia oito de agosto de 1931, mas fixou residência em São Borja. Publicou artigos e ensaios na imprensa, livros de contos e de poesia e peças de teatro.

Em 1962, fundou o Grupo Amador de Arte “Os Angüeras”, o mais antigo em atividade no Rio Grande do Sul. Em 1979 junto à sede do Grupo organizou o Museu Ergológico da Estância, um dos únicos do Brasil na linha folclórica.

Foi um dos fundadores do Festival de Músicas para o Carnaval da cidade de São Borja em 1967. A partir de 1995, com sua morte, o festival passou a receber o seu nome em sua homenagem, passando a se chamar Festival de Músicas Para o Carnaval Apparício Silva Rillo que acontece anualmente e conta com competições de marchas e sambas para o carnaval da região Fronteira Oeste.

São conhecidas de sua autoria, 40 obras, entre elas poesias, prosa, peças de teatro, novelas, teses, monografias, antologias, além de folclore e história. Escreveu diversas músicas em parceria com Luiz Carlos Borges e Mario Barbará.

Em São Borja têm uma escola em sua homenagem, que se chama Escola Estadual Aparício Silva Rillo. É o autor dos Hinos de São Borja, Cerro Largo e Santa Rosa.