A Belas de todas as belas

60

Belinha Lima deixa saudades. Mulher das mais grandiosas na sociedade são-borjense, participou ativamente de movimentos sociais e celebrou a vida como uma dama de incomparável e notável luminosidade. Tinha rituais de charme, filosofia própria, amou o Negro, pulsantemente, como se referia a Pérsio Colombo Lima. Foi uma personagem de remota linhagem da elegância, da beleza e da autenticidade. Beijos, Bela de todas as Belas.