Trânsito caótico. E não é só por culpa dos buracos!

119

Claro que não estou falando do trânsito infernal de megalópoles como o da cidade do México, dramaticamente campeã mundial. Nem me refiro ao Rio de Janeiro, cidade campeã no ranking brasileiro. Falo é da pacata São Borja – 170 vezes menor, porém com um sistema de circulação que tem se revelado caótico, nos últimos anos. Parece ficção, mas não é.

Em determinadas horas do dia, com a buraqueira geral, é grande a perda de tempo e a necessidade de uma paciência de Jó. E aqui não se trata do que chamam de ‘bobódromo’ – esse entupimento de veículos geral a tranco de tartarugas, nos fins de semana e feriados, em áreas do Centro. O comum, entre nós, é congestionamento em qualquer dia, em qualquer hora do dia,em qualquer lugar.

Talvez pela buraqueira geral das ruas, parece que os ‘rachas’ diminuíram, mas o desrespeito aos sinais de trânsito, não. Atravessa-se sinal fechado, ‘rouba-se’ a frente dos outros numa maior, ‘costura-se’ em zig-zag, ultrapassa-se indevidamente, enfim, tem muita gente ‘tirando a mãe da forca’. Para piorar, já há quase um ano estamos sem estacionamento rotativo. Aí, é um salve-se quem puder: com a maior naturalidade, pega-se vaga de idoso ou deficiente. E locais, no Centro, viram ‘garagem’ o dia inteiro em plena rua. Conseguir uma vaga é loteria. Tem muita gente que faz uma, duas, dez voltas buscando estacionamento. E desiste. Quem não consegue vender reclama. Quem quer comprar, também. Talvez quem vende combustível pode ganhar alguma coisa!

O secretário de Infraestrutura e Trânsito, Damião Ribas, diz que a volta do rotativo está a caminho. Foi aprovada lei na Câmara Municipal e está quase pronta a regulamentação na secretaria. A esperança é que em julho saia licitação para definir empresa que será responsável por administrar o estacionamento pago. Sistema de parquímetro – R$ 1 por uma hora; 2 R$ por duas horas. Área Azul será quase igual à anterior. Acho que já melhora bastante o nosso trânsito!

Quanto à buraqueira geral – herdada da administração anterior e multiplicada pela chuva sem trégua – piora a sensação de caos. O secretário diz que, além das equipes da prefeitura, a empresa Provia está contratada para operação de emergência. Salve!,salve!o dinheiro da venda da folha dos servidores municipais à Caixa, que garante parte das obras. Se hoje, com ou sem razão,o bombardeio é sem trégua nas redes sociais, imaginem como seria sem essa chuvarada toda, nos últimos meses, e sem dinheiro para arrumar ruas e estradas?

Curitiba tem, hoje, um automóvel para cada 1,85 habitante, proporção semelhante à de São Borja. Só que a capital paranaense é exemplo mundial no trânsito, mesmo que no horário de pico, pela manhã,tenha perda de tempo de 29%. Em São Borja deve ser menor, mas o transtorno é no dia todo. Ruas estreitas e ausência de um plano racional de mobilidade urbana pioram tudo.

O secretário Damião diz que os binários – que diminuíram acidentes e mortes – seguirão, só que com ajustes. No Rio de Janeiro perde-se 62% de tempo nas horas de pico; em Salvador, 67%.E nós quanto continuaremos perdendo?