Preste Atenção nos Sinais

17

Quando uma pessoa viaja conduzindo o seu automóvel, ela está sempre alerta para os sinais de trânsito que orientam sua jornada, tanto sobre o que se pode fazer quanto o que se deve evitar.

Na condução da vida pessoal, tais sinais também existem tão vividamente quanto os de trânsito. Oxalá as pessoas também os entendessem claramente. Uma dor de estômago é um evidente sinal do corpo dizendo, “por favor, não coma mais isso”. Uma tristeza emocional é o coração clamando, “por favor, evite este tipo de relacionamento”.

Um sofrimento moral é a mente bradando, “por favor, desvie-se destes comportamentos” e assim por diante, num infindo mar de sinais que, frequentemente, são levantados pela insatisfação, pelo sofrimento e pela insegurança. Quando uma pessoa consegue estar alerta para os sinais individuais e, ao mesmo tempo, alcança conectá-los à determinados padrões de comportamentos, ela estará lucidamente reconhecendo que existe uma grande possibilidade de mudança com o intuito de impedir que tais sentimentos resultem de mecânicos e indesejáveis comportamentos. Esteja sempre alerta aos sinais.