Poema – A começar de amanhã…

121

A começar de amanhã…

Iniciarei a viver meu presente

Esquecerei as angústias do passado

Serei um expansivo fogo ardente

Construirei um novo legado

Viverei mais consciente da morte

Morrerei cada segundo mais cônscio da vida

Edificarei minha própria sorte

Entregarei meu amor àquela querida

Desvalorizarei supérfluas preocupações

Agradecerei todos os presentes que recebo

Fundamentarei a essência em realizações

Materializarei todos os sonhos que concebo

Plantarei mais esperança nos campos da existência

Alimentarei a fé que me criou

Compartilharei fraternidade em cada vivência

Exaltarei a igualdade que nos congregou

Receberei do sol o brilho que ele está brindando

Aceitarei das plantas a energia vital

Entenderei do sistema a inteligência nos sustentando

Apreciarei a presença de cada Elemental

Visitarei vales, rios, montanhas, campos e florestas

Estimarei a revigorante força da arte

Escutarei da aurora sua fantástica seresta

Contribuirei ao planeta com uma sustentável parte

Abandonarei o aprisionamento da vaidade

Despedir-me-ei da limitação da soberbia

Renunciarei à boçalidade

Desintegrarei as algemas da antropofobia

Doarei mais moléculas de sensibilidade

Procurarei obter mais conhecimento

Espalharei sementes na lavoura da generosidade

Brindarei à Divindade todo o meu agradecimento

E, Finalmente, a começar de amanhã

Tornarei realidade a decisão de recomeçar

Caminharei em consonância com sublimes desejos

Dar-me-ei o privilégio de um novo caminho andar

Produzirei tudo àquilo que constantemente almejo.

Confira a versão em áudio – https://www.youtube.com/watch?v=CsAxDtAksxk&t=0s&list=PL5TdUsHlc8pPNSXBXWJxumsufjBTfG7fD&index=61