MENTE E CORPO EM TRANSFORMAÇÃO (dez a doze anos)

348
Foto: Popô

A idade entre dez e onze anos é uma época de transição, ou seja, fase que antecede a
adolescência. As crianças desta idade oscilam muito. Ora confiante e ora perdido, seja com seu corpo e a sua personalidade. Essa insegurança pode entrar tanto em conflito para a criança quanto para os pais. O mundo é percebido cada vez mais complicado.

Gradativamente eles vão precisando menos dos pais e mais dos amigos, gerando assim, um lado mais independente. Os tipos de amizade também começam a mudar. Os amigos passam a serem os que são mais sinceros e constantes e não mais os parceiros para brincar. Em casa por vezes o relacionamento com os pais torna-se difícil. Pois, acabam não aceitando tanta proteção. Eles vão criando um espaço só para eles, livre dos adultos e assim vai dando entrada aos hobbies, como por exemplo.

Para muitas crianças completar dez anos é como ter chegado ao topo de uma montanha de
onde elas parecem muito grandes e as crianças com menos idade muito pequenas. Completar uma idade de dois dígitos faz com que o décimo aniversário seja muito importante.

Parece que fica um a linha divisória: de um lado, antes desta idade sabem mais ou menos o que precisam aprender – nadar, andar de bicicleta, jogar bola, pular… Agora, de um modo geral, as crianças não só sabem fazer tudo isso, como o fazem muito bem. Também começam a ter mais habilidades nas atividades físicas e consequentemente exercer um controle maior sobre seu corpo. Favorecendo em muito o desenvolvimento social, ou seja, novas amizades.

Dez anos também se caracteriza como um marco divisório nos anos escolares. Acontece uma mudança intelectual mais complexa. As diferenças sociais e culturais começam a aparecer e aqui as diferenças começam a instalar-se e por vezes sendo muito sofridas.

MENINOS:
De uma maneira geral eles não têm que lidar com as modificações do corpo que marcam a
entrada na adolescência, os meninos parecem estar menos desenvolvidos do que as meninas da mesma idade.

Apesar desta idade de ser consolidação do que já foi conquistado, também pode ser um
período em que mudanças importantes acontecem.

MENINAS:
Assim como os meninos, as meninas estão a par das mudanças que vão ocorrer no seu corpo na puberdade e pensam sobre elas ou estão fazendo o possível para tirar tais pensamentos da cabeça. O inicio da puberdade, para a maioria ainda esta por vir, mas a ansiedade dessas mudanças já esta presente, ainda que alguns pais não a percebam.
Onze anos é uma idade intermediária para todas as crianças. A infância esta acabando, para a maioria, e a adolescência ainda não começou. É verdade que a menstruação pode começar até mesmo aos nove anos, mas é uma exceção. Por volta dos onze anos, algumas meninas, e não a maioria está na puberdade, e raríssimos meninos estão na adolescência.
É importante salientar que neste período é muito difícil para os pais saber dosar a liberdade, especialmente em vista do que foi dito antes sobre reconhecer a necessidade das crianças de dez anos sentirem-se pequenas e fortes. De modo geral discutir as regras em casa pode ser a preparação para discutir as regras do mundo.

Aos onze anos, a criança deixou de ser encantadora que costumava ser e ainda não é um
adolescente atraente e independente, o que faça essa idade parecer desinteressante. Neste
momento a criança sofre ajustamentos importantes, e a maneira como ela consegue
administra-los é crucial no que se refere à forma com que enfrentará os anos adolescentes que se seguirão.

Portanto, nesta idade os padrões individuais de relação já estão definidos e fazem a criança ser o que é. Aqui eles conseguem pensar e avaliar sua própria individualidade e capacidades particulares, como também avaliar as dos outros.

Basicamente estes padrões baseiam-se fundamentalmente do que cada um traz de casa, pois os modelos de comportamento feminino e masculino derivam das observações e investigações do comportamento dos pais ao longo dos anos.

Os meninos em geral começam a reparar mais na figura masculina do pai e as meninas
precisam mais das mães para ensina-las sobre a vida e sobre a vida adulta. Por mais que a
competição fique mais evidente com o passar do tempo.

Para as meninas o pai é um modelo de como os homens são e consequentemente acabam
também tendo certo distanciamento. A maneira de pensar começa a mudar, ela recorre muito à memória para desenvolver um argumento, capacidade esta que aumenta durante a
adolescência e prossegue durante a vida toda. Sua independência mental esta em
desenvolvimento.

As mudanças na escola se tornam cada vez mais visíveis. Seja pela forma de pensar e maior autonomia. A variação provocada nesta idade se da pelo desenvolvimento físico e é sem dúvida um aspecto muito importante.

MAÍRA LIMA BARROSO
PSICÓLOGA 07/12859
ESPECIALISTA EM PSICOTERAPIA DE CRIANCA, ADOLESCENTE E ADULTO.