Com auditório lotado palestra “Cenário Econômico em Pauta” é realizada em São Borja

103

Com o auditório do Senac lotado, ACISB e Sicredi promoveram a palestra “Cenário Econômico em Pauta”, com o Doutor em Economia Pedro Ramos. Ele apresentou vários aspectos positivos e negativos do atual cenário nacional e fez projeções para 2019.

Pedro Ramos é graduado, mestre e doutor em economia pela UFRGS, onde se especializou em modelagem macroeconômica. Trabalha como economista desde 2008, passando por entidades empresariais gaúchas, como Câmara dos Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDLPOA) e a Federação do Comércio de Bens e Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (FECOMÉRCIO-RS).

Desde 2011, vem contribuindo para que a Gerência de Análise Econômica do Banco Cooperativo Sicredi seja premiada como uma das áreas econômicas do país com maior precisão em suas projeções, segundo a Bloomberg, o Banco Central do Brasil e o Grupo Estado de São Paulo. Agrega experiência como professor de Econometria em programas de MBA. Tem artigos publicados em periódicos nacionais e em congressos de economia.

Durante o encontro em São Borja, Ramos destacou que as reformas, principalmente da previdência, são necessárias para o desenvolvimento do país. “Mas não como foi proposto pela atual do governo que, no meu ponto de vista, acabou se equivocando em alguns pontos, na pressa de implementar as mudanças”, disse o economista.

Ele disse ainda que essas medidas precisam ser discutidas com a população. “Precisamos entender o que os brasileiros querem da previdência, para aí sim poder dar um encaminhamento correto. O primeiro passo é retirar alguns privilégios que existem hoje”, explicou Ramos.

O presidente da ACISB, Wolmi Oliveira, destacou que palestras como essa são necessárias para o desenvolvimento local. “Como entidade, queremos contribuir para que a população tenha acesso correto as informações e possa obter dados do que realmente está acontecendo no país”, ressaltou Oliveira.

Um das principais afirmações reforçada pelo palestrante é que 2018 será determinante para a economia nacional do próximo ano. “Essa será a corrida eleitoral mais importante, depois da primeira eleição realizada no período de redemocratização. O que a população brasileira decidir nas urnas neste ano vai impactar diretamente a partir de 2019”, concluiu Ramos.